Sobre o Site e a Revista!Últimas Atualizações
| avança | notícias S.P.Y. Project, Capítulo 1 - capa
| avança
S.P.Y. Project (Capítulo 1 - capa):
Por Kari Esteves (©2010).

Clique aqui para ler desde o começo!!


Quem faz uma história em quadrinhos, um conto ou uma ilustração procura uma dessas duas coisas: retorno do seu público ou dinheiro XD Como a grana é curta para todos, dê apenas um deles: clique no botão "agora... clique aqui e COMENTE!" ali do lado e dê sua opinião sobre a história :D

Receber comentários sempre anima os autores, além de dar a eles uma idéia do que agrada ou não o leitor, resultando em melhores histórias ^^ Todos ganham!

Caso seja tímido para falar, apenas dê suas notas sobre o roteiro e a arte (um pouco acima, tem até um botão com dicas para votar!) ^-^ E pros mais exaltados, não custa lembrar que temos um fórum, com tópicos específicos para cada história, é só se cadastrar e falar!
PS: caso queira comentar essa campanha, o link é aqui, no fórum.

 










Type the characters you see in the picture above.

bruno-kun: A história, arte e roteiro são espetaculares. S.P.Y. Project é uma das histórias mais emocionantes que já li.
Saieso Seraos: Éh isso aí Bruno. Com certeza Spy é uma das histórias mais emocionantes que já vimios! História cativante que prende o leitor do começo ao fim... e a arte... ahhh... a arte é de outro mundo XD.... A Kari-chan desenha super-bem... um dia eu chego ao nível dela! Parabéns Onee-chan!
Pablo Ferreira: Parabéns vc é muito talentosa muito boa a história e muito fera os desenhos !!
 
 
"Resenhas" rápidas: Culpa • American Flagg! • Nimona

• Culpa (de Cristina Eiko) - Um livretinho de poucas páginas, formato A6 para a série Ugritos da Ugrapress. É o tipo de história começa fofa e termina... sendo juz ao título da história.
# Veredicto: leitura rápida, mas vale :)
# Bom: a edição é caprichadinha, tanto fisicamente (papel bom, plastico envolvendo a edição), quanto na arte e roteiro.
# Mau: é rápido. Quando você começou já terminou.
20 páginas • R$ 7 • 2017 • revista no site da editora

American Flagg! (de Howard Chaykin) - Nos anos 80, mais que hoje, os quadrinhos gringos eram dominados pelas duas "majors" (Marvel e DC). Mas, mesmo nessa que foi uma das épocas mais áureas das duas editoras, haviam artistas e editoras independentes que conseguiram lugar ao sol, com fãs fiéis e elogios da crítica e... que por motivo ou outro ($$) nunca acabei lendo mas sempre tive curiosidade de conferir o material.
Óbvio, senão eu não escreveria o parágrafo acima, que American Flagg! era uma desses casos: publicada originalmente em 1983 nos EUA (a série durou 50 edições), e umas poucas tentativas no Brasil entre os anos 80 e 90, se passa num daqueles futuros que quase estão virando passado: em 2031, após uma grande econômica, os Estados Unidos são uma sombra do que eram (e o governo se mudou para Marte), a União Soviética está em frangalhos por causa de insurreições islâmicas, o Brasil é uma superpotência etc, o ator Reuben Flagg perde o emprego na televisão (ele é substituído por um holograma dele mesmo, bem mais em conta :P) e se torna policial no Plexmall de Chicago (Plexmall seriam tipo gigantescos shopping centers onde a população vive nessa época), etc etc.
O mundo de AF é bem construído, com suas peculiaridades e o roteirista/desenhista vai nos apresentando aos poucos o que é aquele mundo e o que está por detrás dele, só que... desculpem, não gostei. A arte do Chaykin é acima da média, algumas páginas tem composições lindas, mas os personagens raramente são desenvolvidos para me importar com eles ("hã, personagem X voltou? Mas ele apareceu antes mesmo? Não me lembro...") e algumas subtramas são confusas, talvez por eu ter perdido o interesse na história lá atrás, talvez por ter lido numa sentada só uma história feita para se ler aos poucos, em 12 partes mensais.
# Veredicto: se você gosta de clichês de FC dos anos 80 (eles não são ruins), personagens sem pudores de falar palavrão, muita ação, personagens sexy que não tem medo da censura (apesar de não ter nada explícito), American Flagg! é pra você :) Só aviso que esse é o primeiro arco do personagem e muita coisa fica em aberto.
# Bom: worldbuilding e Raul, o gato falante e hacker =p
# Mau: personagens sem carisma, e a arte de Howard Chaykin é foda, mas meio "dura" às vezes (fora a mania dele repetir visual de personagem em cada gibi que faz....)
392 páginas • R$ 99,90 • 2015 • revista no site da editora

Nimona (de Noelle Stevenson) - Lorde Ballister Coração-Negro é um vilão, e cet dia uma garota chamada Nimona bate em sua porta para ser sua assistente contra Sir Ouropelvis e a Instituição. Ele reluta no início, mas ao ver que ela é uma metamorfa, a aceita e assim a história começa.
O enredo não entrega muito no começo, e também não é lá muito complexo, mas tem várias subversões, tem cenas de ação (o traço simples da autora não ajuda aí, mas quem se importa, é justamente a estilização escolhida que dá o clima da história), tem cenas de dia a dia, de personagens se importando com os outros, ou simplesmente não querendo falar de coisas que os incomodam, e - é claro - reviravoltas :)
# Veredicto: uma das melhores leituras que tive no semestre passado (não que eu tenha lido tanto assim)
# Bom: a simplicidade de roteiro/arte/personagens, mas assim mesmo distorcendo de leve os clichês. Outra coisa digna de nota é o "mundo" da história, mas simples, com complexidade potencial e talvez melhor apresentado que o de American Flagg!
# Mau: nada me irritou especificamente, mas o adjetivo "simplicidade" é uma faca de dois gumes: alguns personagens podiam ser desenvolvidos melhor, algumas cenas podiam ser melhor compostas, algumas estruturas narrativas batidérrimas podiam ter sido trocadas por algo diferente.
276 páginas • R$ 49,90 • 2016 • revista no site da editora


ìndice de resenhas e movimentações da minha estante:
Por mushi-san em 15/01/18
***Clique aqui e comente senão eu choro ;_;***
Entra e sai de livros (10/01/18)

2017 está cheio de pontos negativos, e não ter atualizado essa seção é um deles. Faz tempo que não atualizo o E/S que quando eu fiz da última vez eu era praticamente outra pessoa :P

Mas vamos que vamos, a meta é manter uma frequência aqui e depois dobrar a meta, como diria minha saudosa ex.

Últimas Leituras:
O Baronato de Shoah – A Máquina do Mundo, José Roberto Vieira - mundo legal, dá um puta cenário de RPG. Mas não curti a história e personagens, o que é uma pena :| O Zero é um cara legal e eu sou uma pessoa bem chata nos meu gostos - tanto que as pessoas não gostam do que eu gosto, geralmente. Portanto....
Lugar Nenhum, Neil Gaiman - gostei. Personagens e mundo interessantes, mas dá para sentir no livro o "peso" de ter sido escrito originalmente como roteiro para uma mini-série para a televisão.
A Fonte Âmbar, Ana Lúcia Merege - demorei tanto pra atualizar aqui que até já fiz resenha desse livro (junto com os outros dois volumes da série)
Os Feiticeiros da Luz, Greice Martinelli - outro livro nacional de gente boníssima que não curti tanto - mas por causa da demografia: bruxos, ok, profecias e inimigos foda, ok, romances, flertes e cenas calientes, ñããããããõ, não faz meu paladar :P (P.S.: to devendo mandar meus comentários pra autora...)

Últimas Compras & Leituras:
(demorei tanto que tem livro que chegou e já foi consumido :P)
Terra de Histórias - Além dos Reinos, Chris Colfer - definitivamente foi o livro mais fraco da série até agora. Vilão sem carisma, personagens desperdiçados, uma cena ou outra legal. Talvez o livro esteja amaldiçoado por ter vindo de uma livraria que fechou :|
Em busca de WondLa; Um herói para WondLA; A Batalha por WondLa, Tony DiTerlizzi - confesso que comprei a série por causa do autor, um excelente desenhista de animais fantásticos (os jogadores de Advanced Dungeons and Dragons devem conhece-lo do velho Manual dos Monstros), e me surpreendi positivamente: a história é morna em alguns pontos, mas os personagens são cativantes e o mundo de Orbona é um dos lugares mais fantásticos que já li.
Assim se formou a Bíblia, Diego Arenhoevel - eu tenho vários fracos, um deles é formação do texto bíblico. Livro bastante didático sobre a formação do Antigo Testamento, escrito lá pelos anos 70 (comprei num sebo, inclusive). A primeira vez que eu o li, explodiu minha cabeça =)




Últimas Algumas das Últimas Compras:
O Lado Sombrio dos Contos de Fada, Karin Hueck - outro fraco meu são contos de fada. Vamos ver se vale =]
A História de Kullervo, Tolkien - depois da última compra, decidi caçar os livros que faltam da bibliografia do autor dO Senhor dos Anéis. Depois disso, só vai faltar ler :P
A Bela e a Adormecida, Neil Gaiman e Chris Riddell - Gaiman, contos de fada, diversidade. Não tem como dar errado, assim espero :PP
A História de Sua Vida e outros contos, Ted Chiang - cara, A CHEGADA É O FILME MAIS FODA DE 2016. Simples assim, tanto desde que vi virou parâmetro para outros filmes, por exemplo: "olha, O Último Jedi é legal, não um A Chegada, mas diverte". E nesse livro tem diversos contos do autor, inclusive o que inspirou a película.
O Médico e o Monstro; A Ilha do Tesouro, R. L. Stevenson - daquela lista de "clássicos que já deveria ter lido faz tempo" (na verdade já li o Médico e o Monstro, não gostei na época). Mas nem sabia que ambos os livros eram do mesmo autor :P


ìndice de resenhas e movimentações da minha estante:
Por mushi-san em 10/01/18
***Clique aqui e comente senão eu choro ;_;***
Meus Carrinhos de Brinquedo: carga seca

(um ano pra atualizar meu site de carrinhos, que feio, joaninha!!)

Por mushi-san em 8/01/18
***Clique aqui e comente senão eu choro ;_;***
Vagabundo é quem não luta!

Pixação e cartazes na Paulista com Consolação que disseram muito:






06mai17 - vagabundo é quem não lutⒶ! / amar e mudar as coisa :{ / fora temer / ano passado eu morri mas esse ano eu não morro :{ / diretas já / fora Temer volta Belchior :{

Ela estava aí antes da greve de 28 de abril (e da morte do cantor Belchior :/) e refuta o "quem faz greve é vagabundo" que você sempre ouve de quem é mais beneficiado pelas greves =_=

Deixa eu repetir o básico aqui: greve é praticamente o único recurso que trabalhadores tem contra abusos de seus patrões. Tem distorções e pessoas que se aproveitam? Tem e sempre terá, mas qual é a alternativa? Fazer nada e deixar acontecer? Se não existir pressão contra, o lado mais forte perde as inibições e monta em cima - como estamos vendo, por sinal.

O que ando vendo muito, e faz tempo, é a mesquinharia crescer: gente ganhando 100 reclamando porque a pessoa que fez a mesma coisa que ele ganha 105, ou pessoas que ganham 10000 indignadas com quem tem nada ganhar 100 de auxílio, mas ninguém estranhando gente com malas com milhões em dinheiro. Muito do "ruim" que definiu 2017 para mim foi fruto dessa mesquinharia: presidentes subiram ao poder porque tem pouco (e acha que tem alguma coisa...) teve medo de quem tem quase nada e nessa fúria acabaram fazendo o jogo de quem tem demais.
E a ficha de muitos desses ainda não caiu.

Outra coisa que vejo é muito pensamento escravocrata disseminado entre quem trabalha: faça seu senhor feliz, vigie o outro escravo colega teu (em vez de criticar o patrão) e fique feliz quando o outro for castigado por tentar conseguir um pouco a mais de direitos - afinal, escravo não tem direitos.


Uma coisa que diria "inexplicável" mas é apenas uma estratégia equivocada das lideranças de esquerda: cadê outras greves? Elas não deviam ter acontecido antes? >=(((

Por mushi-san em 7/01/18
***Clique aqui e comente senão eu choro ;_;***
As ruas de janeiro

Perto do metrô santa Cruz tem a rua Primeiro de Janeiro, que faz esquina com a rua Onze de Junho, são quase seis meses de tempo numa encruzilhada só :P Ali, certa vez, disse pra namorada: aposto que São Paulo tem uma rua para cada dia do ano....

E decidi que em 2018 vou por isso a prova, um mês por vez:


cliquem pra ver maiorzinho (as ruas são o trajeto que o google sugeriu para fazer o rolê em ordem)


...e de cara, minha teoria se provou furada:
Em Sampa, apenas 14 datas de janeiro batizam as ruas da cidade que vivo, inclusive seu aniversário (25 de janeiro) batiza duas ruas aqui, mas decidi colocar só mais central delas no mapa acima, fora as outras 4 em cidades vizinhas (Cotia, Diadema, Guarulhos e Osasco)

Por completismo, fiz a tabela abaixo incluindo as datas faltantes nas cidades mais próximas de São Paulo, dando preferência a localidades dentro do estado e da Região Sudeste, nessa ordem. Talvez eu tenha ignorado lugares mais próximos, mas fiz mais por diversão, sem me preocupar com a perfeição dos dados.

Rua Primeiro de Janeiro (Vila Clementino), São Paulo/SP - 04044-060
Rua Dois de Janeiro (Vila Salete ), São Paulo/SP - 03616-020
Rua Três de Janeiro (Vila Liviero ), São Paulo/SP - 04185-090
Rua Quatro de Janeiro (São José), Vitória/ES - 29031-813
Travessa Cinco de Janeiro (Jardim São Savério ), São Paulo/SP - 04194-345
Rua Seis de Janeiro (Jardim Colibri ), São Paulo/SP - 04855-610
Rua Sete de Janeiro (Jardim Santa Eudóxia), Campinas/SP - 13096-326
Rua Oito de Janeiro (Vila Domitila ), São Paulo/SP - 03626-010
Rua Nove de Janeiro (Canhema ), Diadema/SP - 09941-480
Rua Dez de Janeiro (Centro ), Cotia/SP - 06700-090
Rua Onze de Janeiro (Santa Isabel), São Gonçalo/RJ - 24737-346
Rua 12 de Janeiro (Setor Estrela Dalva), Goiânia/GO - 74475-288
Rua Treze de Janeiro (Americanópolis ), São Paulo/SP - 04336-080
Rua Quatorze de Janeiro (Jardim Veneza), Aparecida de Goiânia/GO - 74958-100
Avenida Quinze de Janeiro (Cidade Seródio ), Guarulhos/SP - 07150-030
Rua 16 de Janeiro (Coutos), Salvador/BA - 40750-110
Rua Dezessete de Janeiro (Aventureiro), Joinville/SC - 89225-886
Rua Dezoito de Janeiro (Jacaré), Rio de Janeiro/RJ - 20961-430
Avenida Dezenove de Janeiro (Vila Carrão ), São Paulo/SP - 03449-000
Praça Vinte de Janeiro (Vila Regente Feijó ), São Paulo/SP - 03335-060
Rua Vinte e Um de Janeiro (Santa Cruz), Salvador/BA - 41925-845
Rua Vinte e Dois de Janeiro (Parque São Rafael ), São Paulo/SP - 08320-140
Rua Vinte e Três de Janeiro (Vila Eliana Maria), Guaratinguetá/SP - 12511-410
Travessa Vinte e Quatro de Janeiro (Centro), Campos dos Goytacazes/RJ - 28027-510
Rua Vinte e Cinco de Janeiro (Luz ), São Paulo/SP - 01103-000
Rua Vinte e Cinco de Janeiro (Parque Primavera ), São Paulo/SP - 04467-290
Rua Vinte e Seis de Janeiro (Mirim), Praia Grande/SP - 11704-730
Rua Vinte e Sete de Janeiro (Novo Osasco ), Osasco/SP - 06045-000
Rua Vinte e Oito de Janeiro (Vila Bela Vista (Zona Norte) ), São Paulo/SP - 02617-090
Rua Vinte e Nove de Janeiro (Jardim Lourdes ), São Paulo/SP - 08452-431
Rua 30 de Janeiro (São Sebastião), União da Vitória/PR - 84604-750
Rua Trinta e Um de Janeiro (Americanópolis ), São Paulo/SP - 04336-090

Enfim, fica a dica pros políticos desocupados da paulicéia que gostam de batizar ruas =P~

Por mushi-san em 1/01/18
Virou chat! Tem 2 comentários!! Clique aqui e comente você também!

Adriana (Strix): Quando você pensa que a caça ao tesouro acabou... xD

mushi-san: essas a gente não vai a pé, calmaê XD


mais postagens
no blog

me sigam
no twitter
MushiComics: Que site é esse?

MushiComics é uma site de histórias em quadrinhos online em que todas os dias - exceto domingos e feriados - pelo menos uma nova página de quadrinho é colocada aqui para você ler ;)

Estamos sempre procurando novas histórias e colaboradores! Você tem uma história? Junte-se a nós! Aceitamos hqs em todos os estilos (comics, mangá etc), exceto histórias pornográficas / hentai / eróticas e quadrinhos com personagens de terceiros sem autorização dos criadores. (Maiores informações, clique aqui e mande mail para o mushi-san)

Há também uma versão impressa do site, a revista MushiComics, com histórias inéditas e vendidas em algumas lojas de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Brasília, Natal e Palmas e também pelo correio. (clique aqui para se informar mais)

Para terminar o site pode ser acessado por dois endereços: www.mushicomics.com ou www.mushi-san.com.