August 2009 Archives

Nem sei o nome dele, se é que tinha. Gatos não se importam muito com isso mesmo... Vira latas, branco, felpudo... acho que tinha olhos azuis. Só que não foi bem ensinado pelo dono: quando era trancado no quintal à noite, miava e miava e miava e miava e miava até altas horas, querendo sair, atrapalhando o sono da vizinhança. Quando solto, invadia o quintal dos vizinhos, ia brigar com os gatos da região (Sansão que o diga), cagava no quintal de todo mundo.

E todo mundo sabe que na vizinhança tem quem não goste de gatos. E já morreram por envenamento vários bichanos por aqui.

Terça cedo, indo para o trabalho, eu o vi assim:

Quando eu voltei, ele ainda estava lá e tirei a foto.
Quarta cedo, ele continuava lá.

Meus pais enterraram Chocolate quando ele morreu, minha mãe fala que meu pai chorou.

Dizem que os donos chamaram a prefeitura para levar o corpo na terça, e não vieram buscar. Dizem que na manhã de terça, o gato apareceu vomitando sangue e morreu. Chumbinho.

Na quarta à tarde levaram a caixa com a carcaça para outra rua, e provavelmente o lixeiro levou.


É uma história com dois imbecis: o que mata e o que adota mas não tem responsabilidade. E quem pagou não foi o pato.

..tá, eu sei que estou atrasado, eu sei que em ABRIL eu falei "nas próximas semanas faço a contagem de fevereiro e de março" e ainda não fiz. Mas quero por essa bagaça em ordem: é legal para os autores saberem onde houve feedback aqui e dar links para que os novos leitores descubram as novas histórias do site ^^

(e sim, espero por aqui em ordem em breve -_-')

10 comentários: Underground
Capítulo 1, página 3
Capítulo 1, página 4
Capítulo 1, página 24 [2]
Capítulo 2, página 6
Capítulo 2, página 12 [5]

7 comentários: Pirates!
018 [2]
019 [3]
020
021

4 comentários: Jiolken
Capítulo 1 - Página 7
Capítulo 2 - Página 1
Capítulo 2 - Página 4 [2]

3 comentários: Code Crush e Kitaku
Code Crush, Capítulo 3 - Página 16
Code Crush, Capítulo 3 - Página 18
Code Crush, Capítulo 3 - Página 20
Kitaku, Parte 3 - página 25 [3]

2 comentários: Reviravoltas
Capa [2]

Um comentário cada:
Evellyn, Capa
Lovelly, Extra! - Você Sabia?
Raquel, Capítulo 1, Página 2
Os Tímidos, 37 à 40
Wanna, Página 1
Alma Envenenada, Página 5
I Wanna Rock And Roll, Volume 2 - contracapa
O Mundo de Sofia, A Dignidade de Um Homem 3
Nê & Ko, 001 à 003
Pinçamentos, 002 e 003
Persona, Festa [4]
Tailer, Página 1 - capítulo 7
Magias & Barbaridades, Por Mares Nunca Dantes Navegados - 4 à 6


Lista das histórias mais comentadas em janeiro

Eu vi essa propaganda no metrô paulistano várias vezes, especialmente na Sé (onde tinha uma gigante) e nas estações do ramo Leste do metropolitano, por onde circulo de fim de semana:

Cá entre nós, essa imagem não parece dizer "se você cursar aqui, você fica mais branco e ganha um capacete"?

Quem usa twitter já deve ter visto/usado o migre.me ou o tiny.url, que são sites que encolhem url's, uma mão na roda para quem quer postar algo e o endereço de determinada página come boa parte dos 140 caracteres disponíveis.

(O twitterfox faz uso desses serviços às vezes, mas de uma maneira meio bem burra: ele encolhe o endereço depois que você posta, antes disso ele não te deixa postar um link que estoure o cabalístico 140 bytes... então, de que adianta?) (por sinal, esse plugin acumulou várias inovações nos últimos meses, o post precisa de uma atualização)

Voltando... o chato desses serviços é ter de ir até o site deles, copiar a url que você quer encolher, apertar botãozinho, gerar nova url, copiar a nova url e colocar no twitter... -_-'

Daí, se justifica o plugin-tema desse post XD

Ele funúncia assim:

a) Você clica na página com a direita e pede para gerar uma URL reduzida, que vai parar na barra de endereços e automaticamente no seu "control+v", ou....

b) ...você clica no link com a direita, e pede para gerar uma URL reduzida, que vai parar na barra de endereços e automaticamente no seu "control+v" [ctrl+c ctrl+v detected no texto do blog].

Nada mais, nada menos.

O link para instalar esse treco é aqui: https://addons.mozilla.org/en-US/firefox/addon/11423

E esqueci de avisar: quando instalar, você tem de selecionar qual dos serviços você vai usar por padrão, são mais de CEM! - Tem até o migre.me, queridinho nacional que não gosto... mas não tem o socute.url ='( Eu uso o tr.im curto o suficiente, e é o que estou usando, mas já devem ter melhores.


Índice dos artigos anterioresbaixe o Firefox • Outros plugins que estão fora da lista: deviantAnywhere, TinEye Reverse Image Search e Window Resizer

Acho que pus tudo em ordem. Falta alguém? XD

legenda das cores:
verde: histórias com páginas para alguns dias a mais no estoque.
amarelo: última página que recebi da história.
vermelho: fim da história.
cinza: recesso, feriado, preguiça e afins. =P

Domo-kun tamanho gigante dando pausa para chá antes de ir matar mais gatinhos XD

Onde: HOC Industries - House of Curios

Ando tão lesado estes dias que até me esqueci de por aqui: fiz várias mudancinhas no capítulo um e praticamente alterei o final do capítulo: vou refazer algumas cenas com o pai dela e tentar dar uma leve agitada no enredo, eu mesmo acho que o total está bucólico demais :|

Digo, eu gosto dos capítulos isoladamente, mas tenho medo que o total escrito seja um potente sonífero.

Se alguém leu, ou quiser conferir, e quiser comentar aqui, agradeço e muiNto ^^

Fazia um tempo que Juju não dava as caras no blog x)


...fail.


Tela retirada de um perfil do SL. A parte grifada seria algo tipo "Nós somos japoneses. Entretanto, nós damos boas vindas à isto excluindo os japoneses." XD

Tenho mais revistas do que meu quarto comporta, então estou tentando me desfazer de parte da coleção ^^

A lista completa está aqui.

Caso se interessem, ou tenham dúvidas, falem comigo em pvt ou ponham recado nos comentários deste post ^^

O que tem de novo:
Estranhos no Paraíso
Lobo Está Morto
• mais uns restolhos que estão na foto acima ^^

MushiComics é uma site de histórias em quadrinhos online em que todas os dias - exceto domingos e feriados - pelo menos uma nova página de quadrinho é colocada aqui para você ler ;)

Estamos sempre procurando novas histórias e colaboradores! Você tem uma história? Junte-se a nós! Aceitamos hqs em todos os estilos (comics, mangá etc), exceto histórias pornográficas / hentai / eróticas e quadrinhos com personagens de terceiros sem autorização dos criadores. (Maiores informações, clique aqui e mande mail para o mushi-san)

Há também uma versão impressa do site, a revista MushiComics, com histórias inéditas e vendidas em algumas lojas de São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Brasília, Natal e Palmas e também pelo correio. (clique aqui para se informar mais)

Para terminar o site pode ser acessado por dois endereços: www.mushicomics.com ou www.mushi-san.com.

To com sono

legenda das cores:
verde: histórias com páginas para alguns dias a mais no estoque.
amarelo: última página que recebi da história.
vermelho: fim da história.
cinza: recesso, feriado, preguiça e afins. =P

...na sexta passada...

... em uma terra muito, muito distante, (tão a leste que era quase Angola) havia um mushi-san que estava voltando a pé do terrível reino da Senzaland para sua casa, na MushiLand. Para se distrair, ele estava ouvindo o novo episódio do Papo na Estante, distraído da vida, do universo e tudo o mais.

Quando ele entrou na rua antes da sua rua mas depois da avenida, também conhecida com "Rua das Contas de Vidro", haviam nela uma barraquinha de cachorros-quente, muitos carros estacionados na margem esquerda, dois ou três mendingos para desviar e os costumeiros cacos de vidro de janela de carro (quebrados para roubo de toca cd) espalhados no chão - daí o nome da rua. Ao se desviar do segundo mendingo, o mushi notou uma movimentação estranha de grupos de garotos à frente dele, ou não, sei lá, ele estava bem distraído com os comentários sobre a Fantasticon.

Distraído não, imerso. Culpem Thiago, Eric e AnaCarol.

Ele virou a esquina em direção à MushiLand, no sétimo sobrado, e desceu a rua. No fim da calçada do sexto sobrado, subentendeu a palavra "assalto" ser dita entre as vozes conhecidas do podcast e percebeu que estava cercado por três distintos senhores e sendo sutilmente induzido a ficar rente ao muro...

E vou mudar a narração para a primeira pessoa do singular. =p

Quem conhece esse blog há mais tempo sabe que em situações de risco eu meio que acabou "desligando" em situações de crise e entro no automático. Na outra vez fiz nada, mas dessa vez alguma parte funcional do cérebro fez a seguinte associação: ladrão quer bolsa -> então -> sem bolsa = sem ladrão. E literalmente sem pensar joguei a bolsa com palm (onde estava o podcast) e fone de ouvido por cima do muro de minha casa XD

Eu acho que vi os três ladrões fazerem cara de 0.0 e já não estavam tão próximos de mim. Não lembro direito...

Um deles blefou: sugeriu pros outros me dar tiro. Sei lá, de bermuda e camiseta não vi arma, então espero que era blefe. Ainda no automático, respondi à ameaça tocando a campainha de casa e eles resolveram descer a rua com pressa em direção à favela. Meus pais apareceram e quando abriram o portão, eles já tinham sumido.

E não eram nem cinco da tarde ainda.


Claro que depois caiu a ficha e vi o tamanho da merda feita XD Eu podia mesmo ter levado um tiro, eles marcaram minha casa e tenho cabelo comprido, é fácil me achar na multidão.

Por outro lado, não criei o tipo de situação que gera vingança, assim espero. E também espero que eles sejam práticos: o tempo que eles gastariam me "procurando" para uma eventual vingança é tempo que eles poderiam estar fazendo coisa melhor, tipo outros assaltos -__-' (péssima linha de pensamento). Provavelmente eram ladrões de toca-CD de carro, frustrados por causa de ter gente "cuidando" das ruas onde eles roubavam, para revender por merreca e comprar crack.

Falando em crack, os donos do tráfego favela abaixo NÃO gostam de pequenos roubos na região. Roubos chamam polícia, que cobram propina, que atrapalham os negócios. Capitalismo. Já houve uma leva de pequenos ladrões na mesma rua uma época, e uma leva de mães chorando os filhos mortos algum tempo depois. Outra péssima linha de pensamento, não lá muito cristã -_-'

Sim, depois que tudo acontece, além de ver a besteira feita, fica imaginando trilhões de reações possíveis em que sairia bem além de encher os ladrões de porrada. Infelizmente meu nome não é Bill, nem sei invocar o espírito de Bruce Lee. Nem sou mutante ou kryptoniano. Ao menos não fiz merda desse nível :P

Para encerrar:

Naquela noite, eu ia jogar Street Fighter para relaxar, mas desisti por que queria dar porrada em alguém, não ficar levando pancada de cada noob que aparecesse no Live.

Se alguém perguntar qual era a cara dos ladrões, eu não sei. Não os reconheceria. Sou péssimo fisionomista e todos eles eram pardos de cabelo ruim, ou seja, a cara metade do bairro. Um deles usava camiseta do São Paulo, por sinal, mas até aí, outra metade do bairro também.

E esta manhã tentaram assaltar outra garota, os ladrões de carro desta vez. Foi bem cedo, não sei se está relacionado... -_-'

"Batatão batatinha traga aquela gostosinha."

(acho que só quem assistiu a raríssima fita vhs de Urusei Yatsura em português vai entender essa ^^-)

...e olha que até ponderei em usar a forma... alternativa de ter o jogo. Mas quando soube que ele sairia no fim de julho por noventa reais, achei o preço justo e esperei mais um pouquinho.

(São vários GIGAS de download. Demoraria uma eternidade para chegar e você nunca sabe que "brindes" podem vir com o programa)

Apesar de eu estar longe de ser gamemaniaco, SF2 fez parte dos meus anos de colégio: não que eu jogasse muito, mas tinha vários amigos e colegas de sala viciados, e às vezes eu jogava, 90% das vezes com a Chun Li (e 90% dos vexames do currículo da chinesa são meus) =) Assim, quando soube do lançamento do jogo, e que seria "3D" mas com o jeitão do jogo original - coisa que muitas "adaptações" por aí não fazem: em vez de refazer o que já feito direito e só modernizar, ficam colocando firula e estragam - , já fiquei querendo :D

Comprei, esperei chegar, instalei, mostrei pros parentes e...

Gostei muito!!! Não vai mudar minha vida, não passo horas seguidas jogando - mas não paro fácil quando começo. E se você tiver estressado e precisa de um saco de pancadas, ou de vitórias fáceis para levantar seu moral, procure por "InsetoSan" na rede do jogo para PC. Continuo ruiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim no jogo. -_-'

Meu manual de sobrevivência ao mundo moderno recomenda que você fale mal dos amigos apenas quando eles estão longe. Assim, vou aproveitar que a Ana Cristina está no Canadá agora para comentar o livro dela: Anacrônicas - Pequenos Contos Mágicos. =p

*O parágrafo acima foi uma brincadeirinha, mas mushi liga campo de força assim mesmo*

Falando sério, eu li Anacrônicas em maio, na última viagem em que vi meu avô vivo e não reli depois, por incapacidade de administrar meu tempo. Assim, tenham em mente lendo os curtos comentários abaixo XD

Antes de tudo, uma correção: Anacrônicas não é um livro não, é livrinho, tanto em tamanho (12x21cm) quanto em número de páginas (90), simpático no formato e na capa, (ilustrada por seu marido, Estevão Ribeiro, que também fez os desenhos dentro do volume) e é um conjunto de vinte contos de ficção e fantasia:

“É tarde!” - É um dos meus preferidos, curtíssima e inteligente releitura de Alice no País das Maravilhas. Se eu soubesse animar, faria uma animação :)
Chiaroscuro - Outro dos meus queridos nesse livreto, e um dos mais longos. Um tantinhozinho erótico, com bruxas e trevas inonimaveis. Personagens, situação e clima precisamente construídos :)
A Princesa de Toda a Dor - Um sobre uma pequena índia e seu fim...
O último soneto - ...e outro sobre um (provavelmente) poeta ultra-romântico¹ e seu fim. Não gostei dos dois, tia.

(ia comentar que romantismo+índio me lembra Iracema, uma das coisas mais detestáveis que já li, mas estou divagando demais)

A Casa do Escudo Azul - Futuro pós-apocalíptico, reconstrução e livros. Podia ser melhor, talvez seja problema de espaço.
Vida na estante - Não vejo graça em traças ò_ó (o inseto, não o blog XD)
Os olhos de Joana - Para mim esse conto sofre do mesmo mau dA Morte do Temerário - também da AnaCris, publicado na coletânea Espelhos Irreais: senti que precisava entender mais do desenrolar dos fatos históricos citados para apreciar melhor o texto.
O Senhor do Tempo - A história do universo, curtinha. Marrom².
Deus embaralha... - Outro curtinho e revela uma triste verdade -_-
Feitiço sem nome - Me pareceu ser uma continuação de "Chiaroscuro", gostei, apesar de curto (ou "tamanho médio", pros padrões da coletânea xD)
A Dama de Shalott - Demorou para me cair a ficha com a brincadeira com Camelot/Lancelot/Shalott. Depois soube que é assim no poema que a Ana se inspirou para escrever, e que eu não conhecia. Está acima da média do conjunto, mas não é dos meus queridinhos não :P
Como nos tornamos fogo? - O amor entre um alquimista e uma elemental, segundo ele.

Em muitos dos contos a Ana nos apresenta o dueto "amor & tragédia" de uma forma bem intimista.

Pelo espaço de um momento - Leia comentário acima :) Onde um dos componentes da situação é um personagem de um quadro.
Borboleta - é um dos poucos contos sem o "fantástico", mas uma forma de expurgar coisas que passaram que gostaria de ter feito um dia.
Viagem à terra das ilusões perdidas. - o título diz a surrealidade do tema :P E não vou 'spoilear' esse monólogo com cara de diálogo.
O baile de Máscaras - Esse conto tem um estranho parentesco com o anterior. Quase uma parábola. Estes dois contos estão bem escritos, mas não sou fã do tema, ou não sinto algo de 'novo' neles. Sei lá.
Lenda do Deserto - Djins, amor... medianinho.
Mapa para a Terra das Fadas - Talvez *eu* seja o piegas, mas este é um dos meus preferidos. Talvez seja por causa do coelho, talvez seja por causa do otimismo tristonho em meio à tantos contos sem um "feliz" no final. :)

Na boa, não gostei tanto dos contos que fecharam o volume:

O eremita - ...que era contra a violência, o mundo é ruim mas talvez haja esperança.
Apocalypse NOW! - O FIIIIIIIIIIIIIM DO MUNDO - inédito! - narrado como anúncio de programa atração televisiva. É até legal, mas eu que estou anestesiado com o tema.

Ah sim, se você está procurando romance, aventura e batalhas épicas, esse não é um livro para você. Apesar das minhas reclamações acima - mais por culpa do leitor que da autora - , gostei de Anacrônicas e recomendo =) A Ana além de ser uma excelente pessoa, brava (no sentido de brigar pelo que quer e acredita, tá?) e que FAZ em vez de ficar de mimimi sobre a inexistência do mercado ou perder tempo em briguinha de ego de autores (mal que assola os quadrinhos brasileiros também). Como disse lá no topo, ela está agora no Canadá, representando o Brasil na WorldCon, a convenção mundial de ficção científica.

PS: Tem um conto bônus não citado no site nem no índice do livro ;) "O Sábio de Osgoroth".

¹ - estou cagando e andando pra ortografia nova até ser obrigatória.
² - "marromenos"

Não lembro por que, mas achei "Onegai Teacher" um mangá previsível (não vi o anime), mas divertido a ponto de merecer um lugar na minha estante. Quando vi "Onegai Twins" nas bancas, comprei pensando em achar algo que me desse a mesma impressão da série mãe, tanto que pus na parte de cima do Everest (achem na foto, achem :P) e finalmente li: achei que perdi tempo, dinheiro e não vou perder mais caracteres escrevendo sobre o mangá.

Corrão.

Assim: lembro de ter visto em algum ponto da segunda metade da década de oitenta - nos primórdios do Tela Quente, um filme que contava a história de uma garota que mudava com a família para um casarão velho. Chegando lá, acontecem "coisas estranhas" e se descobre a história do sumiço misterioso de uma garota local décadas atrás, dando um clima de suspense razoável e alguns sustos toleráveis por um moleque que tinha (e ainda tem) medo de filmes de terror X)
Aquela foi uma década entupida de filmes de terror, e esse seria mais um para mim se o final não botasse o pézinho em outro gênero do cinema, a ficção-científica: a garota desaparecida não morreu, mas fora vítima de abdução, e no fim ela é devolvida para a família 0.0 <-- spoiler!, pinte com o mouse por sua conta e risco.

E isso era tudo o que eu lembrava do filme. Não era famoso o suficiente para outras pessoas se lembrarem dele, e em um dos rascunhos antediluvianos de 0mnia, eu tinha até uma personagem com visual e plot muito vagamente inspirado nessa história. Fora isso, o nome e até a existência (afinal, "" eu vi) dele era um mistério.

Viu como eu procrastino, crianças? Só ESTE ANO eu resolvi desvendar o mistério: fui na santa Wikipédia, achei uma lista de filmes de fantasma e eliminei da lista todos os filmes que não eram dos anos 80 e os famosões de séries de terror da época (Poltergeist, Freedy, Jason, Xuxa e tal). Sobraram menos de vinte, então chequei um a um (botão do meio do mouse nos links e as abas do firefox servem para isso), conferindo plot, fotos... e achei!!

About this Archive

This page is an archive of entries from August 2009 listed from newest to oldest.

July 2009 is the previous archive.

September 2009 is the next archive.

Find recent content on the main index or look in the archives to find all content.

Pages

Powered by Movable Type 5.13-en