June 2012 Archives

Bora falar do dia 28? Depois de ser derrubado e derrotado pelo meu próprio organismo no dia anterior, nesse explorei o centro histórico da cidade o máximo que pude :D

Mas antes, duas notinhas:

1) Reforçando o que twittei, fui para Berlim, sozinho, paguei do meu bolso. Não tive ajuda de bicheiro nem fui com ministro do STF. Não entendeu? clique aqui^^
2) Em número de loiras, Berlim até que ganha com alguma margem, mas perde de longe para Tóquio no número de ruivas =P


"eu enloirarei você!", diz a senhora Merkel em um cartaz anunciando peça de teatro, foto tirada dentro do metrô - alguém consegue fazer uma tradução do texto, o google não ajudou XD

Voltando à programação normal... ano passado comprei dois guias de viagem "Eyewitness Travel" para ir ao Japão. São bem informativos, recheados de fotos, alguns mapas básicos, enfim, úteis e depois da viagem, ficam legais na estante :P Se você sabe o básico de inglês, recomendo de montão NÃO comprar a edição nacional editada pela Folha, que são mais caras (pelo preço nacional do guia do Japão comprei - aqui no Brasil - sua versão em inglês, mais o de Tóquio e sobrou troco...) e não tão atualizados quanto as edições gringas. #ficadica.


Mapa, guia, bandeira e uma joaninha que minha irmã me deu anos atrás

Esse ano comprei apenas o da Alemanha, e olhando para trás, acho que um guia só para Berlim seria mais que suficiente, mal saí da cidade :P (Com as incertezas espanholas, não planejei nada antes de pisar em terras teutônicas, já que tudo era possível, inclusive perder dinheiro gasto com as passagens...=/ )
Outra ferramenta de viagem extremamente útil foi um mapinha dobrável da cidade, simples e c'as linhas de metrô no verso. Encontrei numa das trilhões de lojas de souvenires da (avenida) Unter den Linden, por uma merreca de euros (1,95€).
Se o livro te sugeria o que visitar, o mapa te falava como chegar ^^

E foi assim que segui por Berlim^^


Como dei a entender no post passado, fiquei perto de Frankfurter Tor, uma estação à direita no mapa (procurem a linha U5, marrom, e sigam, uma hora cês acham :P), de lá, 90% dos meus trajetos iam para Alexanderplatz. Acharam? Beleuza.


metrô

Alexanderplatz eu só conhecia de nome por que nos antigamente, na TV Cultura daqui de São Paulo, houve uma mini-série com esse nome. Nunca vi, tampouco sabia que era baseada em um livro, só me lembro da chamada.


tram - atenção pro povo sentado na fonte à direita e a onipresente Torre de Televisão:P


muita gente XD e, camuflado no cenário, o Weltzeituhr


Aqui dá para ver direito o Weltzeituhr, a estação de trem atrás do prédio, logo abaixo da Torre de TV

O que encontrei lá foi uma das estações do metrô mais confusas que já entrei (é a intersecção de SEIS linhas) e parece ser o grande point da cidade para os berlinenses aproveitarem o tempo fazerem nada :P Toda cimentada, várias lojas (e um shopping logo ali), cortada por linhas de trams (tipo bondes :P), possui uma pracinha de alimentação ao ar livre e sempre povoada com gente parada, sentada, conversando, comendo e tomando sol.

(infelizmente não tirei fotos legais que retratassem bem essa atmosfera do lugar =_=')

Enfim, achei lá um excelente local para começar as andanças, dar uma descansada antes e depois das caminhadas e para comer salsicha no pão ^^


Sempre me perguntavam se eu queria catchup ou outra coisa. Até agora não sei se era maionese ou mostarda, mas não gosto de ambos mesmo :P

Isso, salsicha no pão, não cachorro-quente: espalhados pela praça (e noutros cantos da cidade), estão os vendedores, carregando todo o aparato literalmente nos ombros - salsichas, pão, ketchup, mostarda (acho...). Por módicos €1,35, você compra um... e é bom, pelo preço, viu? :P A salsicha é picante (e mais marrom cor de carne que o vermelho ruiva falsa que temos por aqui) e o pão é pequeno e cascudo. Pra mim, servia como meio almoço XD
...e foi o máximo de culinária alemã que comi :Þ


Os vendedores são literalmente ambulantes :P


Roubando cliente da concorrência!



E pra encerrar, na Alexanderplatz também fica o Weltzeituhr, um relógio mundial construído na era comunista (1969)^^ E óbvio que eu ia tirar foto para o lado que aponta para o Brasil :)


Bônus: fotos panorâmicas tiradas da Alexanderplatz nos meus últimos dias em Berlin. Ao contrário da primeira semana, que era de sol e céu limpo, Berlim ficou num humor paulista de céu cinzento e garoa, espantando turistas e nativos. Cliquem nas fotos para ampliar^^

Legenda parcial do que é o que aí, da esquerda para a direita:
• No lado esquerdo, de rosa, ao fundo, o Media Markt (e um bom shopping center no mesmo prédio)(logo atrás de uma entrada do metrô (azul, indicada com um "U", viram? XD).
• Mais para o centro, o Weltzeituhr, a estação de trem (e também, outra entrada do metrô), a Torre de TV.
• À direita, depois do segundo poste, dá para ver ao longe a praça de alimentação e a entrada da Saturn, outra loja de eletrônicos. :P

Foto tirada onde, em dias de sol, estaria apinhado de gente sentada :)
Esquerda: Torre de TV, Weltzeituhr, um tram XD
Centro: Saturn

Europa 2012
Mushi na Europa - antes de tudo (I)Mushi na Europa - antes de tudo (II) e dali eu passei X)Mushi na Europa - Finalmente em Berlim, mas... vamos falar do metrô? -_-'Mushi na Europa - Berlin, Alexanderplatz
Japão 2011
sRViajo ou não viajo pro Japão?Prova do crimePreparação de viagemMushi de ponta cabeça - parte zeroMushi de ponta cabeça - parte umMushi de ponta cabeça - parte doisMushi de ponta cabeça - parte trêsMushi de ponta cabeça - parte quatroMushi de ponta cabeça - parte cincoMushi de ponta cabeça - parte cinco e meioSobre namorar japonesas no Japão...

Ralar no liquidificador 1 coco. Retirar e acrescentar 2 xícaras de açúcar, 3 oovs inteiros. Misturar bem, pingar em forminhas de papel. Assar em forno quente durente 10 ou 15 minutos.

Sobre isso de receitas no blog, leia aqui e aqui.
Aviso: Eu NUNCA cozinhei na vida, só estou digitando e postando ;P

Tá, tá, o mushicomics está em hiato por tempo indetermindado, com ameaças de cataclismas, destruição, dor e ranger de dentes... 0.0 E, independente de dramas, não vou deixo de dar apoio aos autores que ainda fazem algo:


http://fanzinevidasimperfeitas.blogspot.com.br/p/como-adquirir.html

Mary Cagnin terminou Vidas Imperfeitas (publicada quase integralmente no mushicomics, confiram aqui: http://quadr.in/vidasimperfeitas) e está vendendo todas os seis capítulos da história na forma de fanzine, mais marcadores de páginas :D

• 1 abacaxi triturado no liquidificador
• 300g de álcool
• 350g de açúcar
• 2 amêndoas picadas (sem a pele)
Juntar o abacaxi ao álcool por 5 dias. Passar num pano (espremer). Fazer uma calda em ponto de pasta com o açúcar e as amêndoas. Deixar esfriar. Juntar tudo e filtrar.

Sobre isso de receitas no blog, leia aqui e aqui.
Aviso: Eu NUNCA cozinhei na vida, só estou digitando e postando ;P

Histórias da Noite Carioca é daqueles trabalhos com uma trama simples, e até secundária: Lucas Mogine é um escritor de sucesso sofrendo de bloqueio criativo e certo dia, seu sua grande amor do passado pendência sentimental, Tita, ressurge em sua vida e nos capítulos seguintes somos levados a conhecer personagens da vida presente do escritor, suas ramificações no pretérito e descobrir que nem tudo é...
Bom, talvez os maiores méritos do livro também sejam seus defeitos: um dos primeiros livros de Eric Novello, às vezes o autor erra na mão no humor (o narrador-personagem (esqueci de falar q é em primeira pessoa) às vezes faz piada demais sobre os fatos) e nas sutilezas (algumas transições sobre a natureza de algumas coisas me pareceram tortas)(ou sou burro mesmo, não nego, tenho limites). Se eu conseguisse escrever no nível do Eric, diria que são defeitos de autor iniciante :P

Veredicto: gosteizin, mas às vezes me senti um trator com esteira e vinte toneladas de metal, graxa e barro marchando sobre uma estrada feita de mármore. Há muitas sutilezas que não peguei e acho que um leitor mais descompromissado não pegaria também.

site do autor: ericnovello.com.br
página do livro: ericnovello.com.br/livros/historias-da-noite-carioca/

Livros, pseudo-resenhas de
Histórias da Noite CariocaEclipse ao Pôr do SolMemórias Póstumas de Brás CubasSteampunk – histórias de um passado extraordinárioPeter PanFilhos de GalagahViagem ao Centro da TerraO vampiro antes de DráculaAlém da Terra do GeloEspelhos IrreaisAnacrônicas

Colocar no aparelho: ½ copo de leite, 1 ovo, ligar o aparelho [liquidificador] e juntar 1 rodela de abacaxi cortada em pedaços, 2 colheres de gelo moido. Bater por algum tempo e servir.

Sobre isso de receitas no blog, leia aqui e aqui.
Aviso: Eu NUNCA cozinhei na vida, só estou digitando e postando ;P

...e também tomei xD E ele é rosa com cheiro de chiclete!!

Não, não estou confundindo o Cristo com a princesa Bubblegum/Jujuba* de Adventure Time.

Só estou falando do famoso guaraná exclusivamente maranhense, que colega de banco contrabandeou cá pro Sudeste:


Para quem quiser saber mais sobre o refrigerante, recomendo a wikipedia :P


Veredicto: seria mais gostoso se fosse menos doce. Mas vale tomar pela curiosidade acumulada :P

* Sobre Adventure Time, gostei da tradução do nome da personagem. "Princesa Chiclete" daria a entender que ela vive grudando nos outros XD

E antes que os religiosos venham falar do nome do guaraná (criado por um farmacêutico ateu chamado Jesus, isso é, não foi uma brincadeira com a religiosidade dos outros), acompanhem essa notícia aqui: Leão de Judá: o refrigerante Universal do Reino de Deus

Colocar no liquidificador 1 fatia de mamão cortada em pedaços, suco de 1 limão, açúcar à vontade. Servir com gelo picado.

Sobre isso de receitas no blog, leia aqui e aqui.
Aviso: Eu NUNCA cozinhei na vida, só estou digitando e postando ;P

(Ainda sobre a Espanha: foi só eu reclamar que as coisas prometem melhorar, mas pelo jeito, escapei por pouco XD)

Deixa eu colocar a coisa em datas: dia 25 saí de São Paulo, dia 26 passei por onde na próxima vez não passo e cheguei em Berlim. Dia 27 foi meu primeiro dia inteiro em na capital da Alemanha, eu ainda estava meio de jet lag mais uma dor de cabeça de brinde.


Berlim Oriental. Foto da região onde eu "morei"^^


Restaurante com típica comida alem.... tailandesa. Segundo meus amigos, tem muitos tailandeses e vietnamitas por lá. Chineses, coreanos e japoneses? Só como turistas^^

Saí brevemente pela manhã, de teimosia: peguei metrô, fui até a Alexanderplatz, cruzei algum shopping que não acho no mapa e fiquei fazendo nada numa praça atrás dele um tanto, andei até a onipresente antena de televisão da cidade e, por fim, a Marienkirche. Não conhece estes lugares? Não importa, eu estava bagaçado demais pra ter qualquer noção do mundo em volta, fica para outro dia. Ainda era manhã e voltei para casa dormir o dia inteiro.

Já que o dia foi morto, deixa eu tentar explicar o meu meio de transporte preferido na cidade: o metrô :P


Cliquem para ver grandão

1) Nem vou comparar a malha berlinense com Rio ou São Paulo (cujo mapinha oficial é mó enganação: desse furdunço, que não é grandes coisas, só cinco linhas são metrô de verdade, sendo que a Lilás liga o nada ao lugar nenhum. O resto são no geral linhas de trem, boa parte com trens e estações em péssimo estado).
Se querem comparar Berlim com alguma coisa (339 estações ("U" + "S") para 3½ milhões de habitantes), comparem com Tóquio (274 estações, 13 milhões de habitantes) :P


Metrô alguns quarteirões de casa =}

2) Os trens são limpos, amarelos (=P) e vêem em diferentes sabores modelos. Com poucos vagões, com muitos vagões, novos, velhos, mas todos muito bem conservados. Estações também são um brinco em limpeza, conservação e sinalização (apesar que algumas estações são confusas por estarem no entrocamento de 3984752307² linhas, não tem TOC por organização que resolva)(sim, Alexanderplatz, eu estou falando de você!)


Trem velho, sô =p


Já esse é mais moderno^^


É bobo, mas eu achava legal ver por dentro os trens novos "se contorcendo" a cada curva ou subida na linha. Em Sampa, a mesma acontece na linha amarela, mas os trens são mais estreitos e mais cheios, raramente se consegue o mesmo efeito :P

3) As portas dos trens não abrem automaticamente (nem a dos trams) ao chegar na estação. Você tem de apertar um botão ou, nos trens mais antigos, mexer na maçaneta ^^


Sim, eu disse maçaneta o.o

4) A malha é dividida em três áreas (A, B, C - tá no mapa, cê viu?), com diferentes tarifas dependendo de onde você parte e onde você vai (um bilhete que vale para as regiões AB é mais barato que para ABC, por exemplo. Tem as tarifas aqui, em inglês). Há bilhetes com diferentes durações (usei um que valia uma semana que me fez a alegria ^^) e vale para ônibus e trams também.

<- Ao lado, um bilhete autenticado

5) Em Berlim, as estações de metrô... não tem... catraca/roleta/bloqueio!!! Nein! Você chega na estação, compra bilhetes em uma máquina, autentica em outra e entra no trem. Poder da fé e da confiança do governo nos seus cidadãos? Eu não diria isso. Existem fiscais e os vi em ação três ou quatro vezes: eles chegam de surpresa no vagão, mostram a identificação e pedem para todos mostrarem seus bilhetes. Quem não tiver, paga multa de €40 (ui!), os fiscais até carregam maquininhas de cartão de crédito para receber o pagamento na hora XDD
E sim, todas as vezes que os vi entrar, tinha alguém passeando de graça...

(parando para pensar um pouco, se isso acontecesse no Brasil, já ia ter uma conta no twitter dedurando onde os fiscais foram avistados...)


Máquina de bilhetes...


...graças à Deus, tem opção de instruções em outras línguas (francês, inglês e polonês)


E autentique seu bilhete antes de embarcar^^

6) A certa altura o bestão aqui se perguntou como os metrôs de Berlin Ocidental e Oriental se ligaram depois da queda do Muro?... bem, é simples: eles já estavam ligados antes da construção do Muro, da Segunda Guerra e do nascimento da tua avó. As primeiras estações são de 1902 e na Guerra Fria, linhas foram interrompidas e estações foram fechadas até a virada da década de 1980 para a de 1990.
Simples assim.


Painelzinho mostrando quanto tempo falta para o trem chegar na estação X)
(número da linha • sentido • minutos)


P.S.: Queria agradecer à @ceric e @NNNery pela ajuda com a conversão de vídeos =)

Europa 2012
Mushi na Europa - antes de tudo (I)Mushi na Europa - antes de tudo (II) e dali eu passei X)Mushi na Europa - Finalmente em Berlim, mas... vamos falar do metrô? -_-'
Japão 2011
sRViajo ou não viajo pro Japão?Prova do crimePreparação de viagemMushi de ponta cabeça - parte zeroMushi de ponta cabeça - parte umMushi de ponta cabeça - parte doisMushi de ponta cabeça - parte trêsMushi de ponta cabeça - parte quatroMushi de ponta cabeça - parte cincoMushi de ponta cabeça - parte cinco e meioSobre namorar japonesas no Japão...

• ½ xícara de uvas sem sementes
• ½ copo de água
• 2 colheres de sopa de açúcar
Ligue o motor [do liquidificador] e adicione os ingredientes. Deixe bater até combinar bem.

Sobre isso de receitas no blog, leia aqui e aqui.
Aviso: Eu NUNCA cozinhei na vida, só estou digitando e postando ;P






Corpo de modelo, olhos azuis, pintinha de Marilin Moonroe, colorida como um sorvete napolitano =^.^=


(Já faz um tempo que não posto fotos de gatos aqui :P)(e enrolando com gatos no blog, enquanto não atualizo o texto da viagem :P)

• 1½ xícaras de suco de tomate
• 1 pitada de sal
• 1 xícara de alface (picada)
Coloque o suco e o sal no liquidificador, ligue o motor e adione a alface. Deixe bater até combinar bem.

Sobre isso de receitas no blog, leia aqui e aqui.
Aviso: Eu NUNCA cozinhei na vida, só estou digitando e postando ;P

(essa série podia se chamar "mushi na perpendicular", não? XD)


Assim como ano passado, iniciei estudar a língua local, "preparação de viagem", mas no fim só gastei dinheiro em um livro básico que mal foi aberto :P
Mas ao contrário de 2011, fiquei quieto no blog e twitter sobre meus planos: eu queria mesmo fazer uma surpresa tipo "olha, agora to twittando no Japão \o/" no ano passado (sim, sou besta, mas qual a graça de se gastar em diversão e ser sério?), mas as circunstâncias (a.k.a. Preocupação e Indecisão) não deixaram.
Desta vez, só dei indicações aqui e ali de que ia viajar. Na véspera, aproveite o gancho de que "queriam me matar", disse no twitter que estava fugindo para a Bahia, programei twitts engraçadinhos e terminaria com uma foto de qualquer coisa escrita no aeroporto de Berlim com a mensagem "acho que não estou em Salvador".
Acabei não tirando a tal foto a tempo, ninguém ligou pras minhas besteiras sem graça no twitter e to adiantando a história. Rebobinando...


Enfim, chegou o dia: mala arrumada na última hora (com sobrinhos em torno), fichário novo (mal encapado, feito na última meia-hora), barba feita para não ser confundido com terrorista, twitts programados (mesmo não sabendo o que seria da minha viagem depois de Madri), peguei taxi na penúltima hora, mas mesmo com trânsito, cheguei bem a tempo de todas as burocracias e frufrus exigidos para se pegar um avião como manda o figurino.


Nem precisava de tanto, o vôo atrasou mais de uma hora para sair mesmo...

Para quem viajou de Britsh Airways, ir de Iberia é um downgrade: em cada trajeto da empresa britânica, haviam funcionários falando inglês e funcionários falando a língua local (São Paulo-Londres: português, Londres-Tóquio: japonês, etc), na Iberia era espanhol ou inglês, só. E senti falta da mordomia das televisões em todas as cadeiras em todos os vôos do ano anterior.
Enfim, paguei a passagem mais barata possível, com direito à altas emoções perto do fim, não tinha do que reclamar :P x)

(mas não vou negar, peguei um povo legal em torno, excursão de senhores e senhoras para Europa e Terra Santa, daqueles para puxar papo quando as luzes estavam acesas)


Dez horas depois, cheguei em Madri. O pouso não foi grandes coisas, mas o povo bateu palmas quando chegamos ao chão. Ou algo grave aconteceu e eu não estava sabendo, o que é bem provável.

(pra piorar, a Iberia tem o hábito de tocar musica clássica na hora dos pousos, uma iniciativa legal, mas podiam selecionar a trilha sonora, algumas das obras tocadas seriam colocadas fácil em cenas de "desastre imininente" em qualquer blockbuster cinematográfico)

O aeroporto de Barajas parece ser tão grande quanto Heathrow, com direito a trenzinho interno e tudo o mais. Mas eu estava tenso demais para curtir o local. Minto, eu estava mais tenso que o normal, mas menos do que muita gente que eu conheço estaria :P Já tinha me preparado psicologicamente para contar pros parentes, amigos e twitter a fantástica saga do meu retorno ao Brasil, expulso da Europa, a minha dramática passagem por um corredor polonês feito por soldados espanhóis, et caetera.
Pela primeira vez na vida, pisei na Eurásia Eurafrásia(Inglaterra e Japão estão ilhas, lembram? Quase parei na Coréia do Sul da outra vez, aí eu teria pisado na maior massa de terra da... Terra) e corria o risco de logo estar fora dali: depois de alguns corredores, encontrei a imigração. Sem soldados (ainda XD ...?), apenas um funcionário fazendo seu serviço, novo, meio incisivo, questionava se eu sabia dos documentos necessários para poder entrar na União Européia (ele disse praticamente isso). Falei que estava com tudo, menos a carta convite da minha amiga (até hoje espero ela na caixa de correio...), mostrei a versão impressa do scan, mas ele queria a carta O•FI•CI•AL (capslock na voz dele), ele reperguntou que documentos eu tinha, quanto dinheiro eu levava, insistia na carta, sempre em tom incisivo. Por fim, carimbou o passaporte e me liberou:
- Da proxima vez, non passa!


twittei essa imagem dias depois, mas escrevi a fala errado :P

Alívio e indignação. "Da próxima vez", é? ¬¬ Não engoli essa. Ainda.
Até agora não me decidi se eu fui liberado por que ele foi gente boa comigo ou se ele estava bravo por não querer me liberar mas as regras ou alguma instrução estava a meu favor :P Burro seria se eu puxasse assunto ali, fui embora antes que mudassem de idéia.


a tradicional foto de comida no primeiro aeroporto

E tive de esperar cinco horas até a saída do vôo para Berlim... nesse meio tempo fiquei caçando tomadas para recarregar o kindle (meu contato com o mundo), comi, dei uma volta no aeroporto... e Heathrow era melhor: concentrava o povo num canto, em torno tinha praticamente um shopping center XD Práticíssimo para matar o tempo e o salário. Barajas fez isso errado: é um enorme corredor onde ficam as cadeiras/embarques de um lado, lojas do outro. Não anima visitar as lojas desse jeito.




Barajas: se alguém faz a Espanha ser menos animada que a Inglaterra, alguém fez algo terrivelmente errado por ali

(Também achei um hondurenho morrendo de fome querendo trocar dolares por euros para comer, mas não havia casa de câmbio aberta por lá :|)


Quase 1900km, mais ou menos a distancia entre São Paulo e Maceió

O vôo para Berlin foi num avião bem menor, com novo atraso, sem refeição, sem cadeiras reclináveis e sem funcionários falando alemão - só espanhol e inglês - apesar de boa parte dos passageiros serem alemães. Lembrei que prometi para mim mesmo evitar piadas sobre nazistas até sair da Europa, mesmo no twitter. Vai que me deportassem :Þ


Alpes!


Chão!!

Um cochilo e chegamos no aeroporto de Tegel e... o compartimento de bagagens não quer abrir :P Provavelmente os funcionários da imigração espanhola deveriam estar lá dentro do container gritando "daqui non passa!!" para alguma bagagem brasileira desafortunada =P
Mais espera até as duas malas do mala aqui aparecerem na esteira, as pego ("eram elas mesmo? nunca tenho certeza..." <- e olha que elas tem enfeites para se destacarem na multidão) e na saída, dois guardas me param. Não lembro se me perguntaram algo, mas olham o passaporte, pegam lupa, reolham, olham pra minha cara... tô liberado. #ufa

(imaginem se eu tivesse levado meu chaveiro :P)


"Acho que não estou em Salvador..."

Antes de sair, tem mais funcionário perto da porta. Faço sinal se preciso passar por ele também? Num inglês com forte sotaque de padre de piada (e fácil o suficiente pro meu conhecimento rudimentar da língua entender) ele me pergunta "você trouxe cigarros?" Não. "bebidas?". Não. "CACHAÇA?!?". Não XD. "Pode passar! :)"

E passei, era começo da noite, encontrei meus amigos e estava eu em uma cidade que não conhecia ainda^^


(e nem fiquei olhando no Google Maps para ver como era por que é spoiler)

Europa 2012
Mushi na Europa - antes de tudo (I)Mushi na Europa - antes de tudo (II) e dali eu passei X)
Japão 2011
sRViajo ou não viajo pro Japão?Prova do crimePreparação de viagemMushi de ponta cabeça - parte zeroMushi de ponta cabeça - parte umMushi de ponta cabeça - parte doisMushi de ponta cabeça - parte trêsMushi de ponta cabeça - parte quatroMushi de ponta cabeça - parte cincoMushi de ponta cabeça - parte cinco e meioSobre namorar japonesas no Japão...

Ponha a ferver 2 xícaras de água com uma pitada de sal e 2 colheres cheias de manteiga. Quando esta estiver completamente derretida e levantar fervura, junte de uma só vez, 2 xícaras de farinha de trigo, vá mexendo com uma colher de pau, até despregar do fundo da panela. Retire do fogo, deixe esfriar e vá juntando 6 ovos (um por um, mexendo sempre) até ficar uma massa bem lisa e consistente (se for necessário, junte mais um ou dois ovos). Frite as colheradas em gordura ou óleo mexendo a panela para corar bem todos os lados e sirva polvilhando com açúcar.

Sobre isso de receitas no blog, leia aqui e aqui.
Aviso: Eu NUNCA cozinhei na vida, só estou digitando e postando ;P

About this Archive

This page is an archive of entries from June 2012 listed from newest to oldest.

May 2012 is the previous archive.

July 2012 is the next archive.

Find recent content on the main index or look in the archives to find all content.

Pages

Powered by Movable Type 5.13-en